Como separar lixo reciclável no seu apartamento?

  • 3 de março de 2022
  • Equipe Riva
  • 10 minutos de leitura
Como separar lixo reciclável no seu apartamento? Riva Incorporadora

Somos todos responsáveis pelo lixo que produzimos. E quanto mais consumo, mais embalagens e recursos naturais são usados, gerando cada vez mais lixo para ser descartado. Mas, será que esse descarte é feito adequadamente? Sabemos que não.

Sem tempo para ler? Clique no play para ouvir.

São toneladas de embalagens plásticas boiando em rios, lançadas nas praias, obstruindo bueiros nas cidades, provocando morte de animais por asfixia e intoxicação, além de materiais com potencial para serem reciclados sendo enviados aos aterros sanitários, misturados ao lixo comum.

Tudo isso torna o consumo sustentável cada dia mais desafiador, mas imprescindível. Portanto, as práticas conscientes com envio dos materiais para reciclagem é uma das ações mais urgentes e que está ao alcance de todos nós. Neste post, falaremos sobre os tipos de lixo e como reciclá-los em ambiente doméstico para diminuir a carga de poluição no ambiente como um todo.

Quais são os tipos de lixo?

É importante distinguir os tipos de lixo para saber como lidar com eles. Veja abaixo os principais.

Lixo orgânico

Esse tipo de lixo é basicamente produzido por restos de alimento e costuma ser descartado principalmente em ambientes domésticos e estabelecimentos comerciais. É um lixo que deve ser separado do restante, uma vez que é destinado aos aterros sanitários.

Lixo reciclável

É o lixo com potencial para ser transformado em outros tipos de materiais para uso posterior. Ele deve ser separado para que a coleta seletiva o entregue às cooperativas de reciclagem. Os exemplos mais comuns são papelão, embalagens plásticas, garrafas PET, embalagens de vidro, papéis de jornal e revista e objetos de metal.

Lixo industrial

São os resíduos descartados pelas indústrias, geralmente compostos de sobras das matérias-primas usadas. Trata-se de um lixo que pode ser reciclado ou reutilizado pelas próprias indústrias, como vidro, metal, plástico, tecido, borracha.

Lixo hospitalar

Pouco comum de ser encontrado em apartamentos, mas vale lembrar. O lixo hospitalar é extremamente tóxico e perigoso. É nocivo à saúde e, por isso, deve ser enviado a empresas especializadas para dar o devido destino ao material. São medicamentos, seringas, materiais cirúrgicos, sondas etc.

Lixo eletrônico

O destino desse tipo de lixo é hoje um dos grandes desafios da sociedade. São materiais que contêm cobre, ouro, alumínio, entre outros e são gerados durante o descarte de eletrônicos em desuso. Alguns exemplos mais comuns são rádios, TVs, telefones, computadores e acessórios. Muitas empresas fazem a coleta gratuitamente nas casas das pessoas. Basta entrar em contato.

Lixo verde

É o resíduo da poda das árvores e da coleta de folhas nas ruas das cidades, podendo ser usados para compostagem, uma vez que são orgânicos.

Lixo radioativo

São resíduos extremamente perigosos, compostos por materiais radioativos, como elementos de aparelhos de raio-X e sobras de urânio, césio etc. de usinas nucleares. Seu tratamento também é feito por empresas especializadas.

O que é considerado lixo reciclável?

O lixo reciclável é todo material apto ao reaproveitamento parcial ou total. São materiais com capacidade para retornar à cadeia produtiva. São eles: copos, garrafas, PET (refrigerantes, óleo e outros similares), sacolas/sacos, frascos de produtos, tampas, tubos e canos de PVC, tubos de caneta, embalagens de produtos de limpeza, potes de plástico, brinquedos de plástico, baldes, enfim, quase tudo o que é de plástico, papel e metal.

Como separar o lixo para reciclagem em casa ou apartamento?

É muito comum as pessoas tentarem reciclar o lixo e errarem na forma de separar os resíduos. Mas, isso é normal e o que você precisa é apenas reservar um pouco de tempo e paciência para fazer esse trabalho corretamente. Isso pode evitar danos aos outros e, também, ao meio ambiente, além de poupar energia, água, matéria-prima e espaço nos aterros. E, no final, ainda pode contribuir com a geração de renda de pessoas ligadas ao trabalho de reciclagem da sua cidade. E como proceder?

Separe o material orgânico do reciclável

Conforme já ficou especificado anteriormente, o lixo orgânico tem origem vegetal ou animal. São os restos de alimentos, sementes, cascas de legumes e frutas e madeira, que devem ser acondicionados em recipiente apropriado. Grande parte pode ser compostada (se não tiver uma composteira em casa, vale procurar uma compostagem comum do prédio ou do bairro/cidade).

Os plásticos, papéis secos, alumínio, metais e vidros constituem os resíduos recicláveis. Do grupo dos materiais não orgânicos, o que não deve ir para o lixo reciclável: etiqueta adesiva, papel-carbono, fita crepe, fotografias, guardanapos, filtro de cigarros, papéis sanitários, papéis sujos, copos de papel. Além disso, cabos de panela, tomadas, grampos, clipes, canos, esponjas de aço, espelhos, cerâmicas, cristais, porcelana. As baterias de celular e pilhas devem voltar aos fabricantes ou serem encaminhadas a coletores específicos.

Quais são as boas práticas para separar recicláveis em casa?

Depois de separar o lixo úmido do seco, usando latões diferentes, use sacos plásticos para cada um dos tipos de materiais, como plástico, vidro, papel e metal. Tente não amassar nem rasgar os papéis que serão enviados para a reciclagem. E, nunca se esqueça de esvaziar bem todas as embalagens.

Limpeza do lixo reciclável

O excesso de sujeira sempre deve ser removido de todos os materiais recicláveis. Essa medida evita mau cheiro nos pontos de coleta e, também, a proliferação de insetos, que podem ser nocivos aos trabalhadores.

As embalagens de latas, longa vida, frascos de vidro e plástico devem ser lavadas, se possível com água de reúso. Depois, devem ser secas antes de se fazer o depósito nos coletores. Os vidros quebrados e demais materiais cortantes precisam ser cuidadosamente embrulhados em papel grosso, como o jornal ou armazenados em caixas a fim de evitar acidentes. Outro detalhe: frascos e garrafas não podem ser misturados aos vidros planos.

Depois de separar o que é reciclável, encaminhe para a coleta seletiva da sua cidade. Caso a prefeitura não faça esse trabalho, provavelmente você pode encontrar cooperativas ou postos de entrega voluntária. Você pode contar, ainda, com ferramentas de busca como o eCycle.

Separação dos materiais

Óleo de cozinha: procure sempre guardar o óleo de cozinha usado em recipientes fechados com tampa ou garrafas para serem enviados à reciclagem. Algumas empresas e ONGs da sua cidade podem fazer esse trabalho de coleta, vale a pena pesquisar. Muitas delas reaproveitam esse óleo descartado para fabricar sabão.

Lixo eletrônico: O lixo eletrônico jamais deve ser jogado fora, uma vez que seu descarte incorreto contamina o solo com seus elementos químicos pesados. Da mesma forma, os eletrodomésticos podem ser enviados ao fabricante, caso ele disponha de política de logística reversa. Ou, como já comentado, pode ser enviado para empresas especializadas que fazem a coleta gratuitamente na casa das pessoas. Caso contrário, o ferro velho pode receber esse material

Algumas operadoras de celulares estão empenhadas em serviços de reciclagem, mantendo, inclusive, postos de coleta para aparelhos e baterias. Por isso, pesquise por pontos de coleta, ou ONGs especializadas.

Medicamentos vencidos: nunca descarte remédios no lixo comum ou em vasos sanitários. Eles podem contaminar a água e o solo e, ainda, prejudicar a saúde de animais. Esse descarte deve ser realizado em postos de saúde ou farmácias, que recebem todo material dessa origem.

Roupas: roupas velhas e sobras de tecido podem ser encaminhadas para instituições ou empresas que reaproveitem esse material.

Coleta seletiva

Uma ótima prática de reciclagem em casa ou em apartamento é, sempre que possível, separar os materiais em recipientes com cores diferentes para plástico, papel, metal, vidro, materiais não recicláveis e lixo orgânico.

Reaproveitamento

Toda vez que você separar o lixo orgânico, uma boa ideia é criar composteiras e usar o material como adubo para a terra a fim de nutrir plantas e uma horta caseira. Mas, se a sua intenção não é usar esse material em casa, há, também, empresas e associações especializadas nesse trabalho. Elas recolhem esse lixo e retornam em forma de adubo.

Redução do volume de consumo

Para colaborar ainda mais com a diminuição do volume de lixo descartado, se possível, escolha alimentos que são armazenados em material biodegradável ou com embalagens pequenas, de pouco volume. Uma alternativa interessante é usar ecobags para fazer compras nas feiras livres e nos supermercados.

Conforme é possível perceber, à primeira vista, todo esse trabalho de separação, limpeza e reutilização parece enorme. Mas, com o tempo, você vai ver como separar o lixo para reciclagem pode se tornar uma tarefa interessante, capaz até de despertar alguma criatividade e ideias de como fazer do seu lixo algo útil e até rentável. Se você ainda não tem esse hábito, comece aos poucos. Será só uma questão de tempo até se tornar rotina.

E, para inspirar você a começar uma vida mais leve, que tal dar uma conferida em 5 hábitos para ter na rotina e cultivar uma vida equilibrada?


Post Anterior
Aprenda como fazer um jardim vertical no seu apartamento
Próximo post
O que é uma vida minimalista e como cultivá-la?

Receba nosso contato para saber mais sobre como podemos te ajudar a encontrar o imóvel ideal.

  • Hidden
    Sobrenome do usuário (Campo oculto, preenchido dinamicamente após envio)
  • Hidden
  • Hidden
  • Hidden
    Site da Web – Website – URL
  • Hidden
  • Hidden
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Fique tranquilo(a), você não estará assumindo nenhum compromisso com a Riva.