O que é ESG e quais os seus impactos no mercado imobiliário?

  • 1 de junho de 2022
  • Equipe Riva
  • 11 minutos de leitura
O que é ESG e quais os seus impactos no mercado imobiliário? Riva Incorporadora

O mercado imobiliário está sempre evoluindo a respeito de questões socioambientais. Diante disso, o conceito ESG está cada dia mais inserido em tarefas desse setor. Vamos ver como?

Como em qualquer outro setor da economia, o mercado imobiliário também deve se adaptar para implementação de práticas ESG em suas atividades, tanto para novas aquisições quanto para desenvolver empreendimentos. Porém, surgem muitas dúvidas acerca do que é ESG e sua relação com o setor.

Em virtude das novas demandas do planeta e das pessoas, a utilização desses fatores no mercado imobiliário é uma consequência à grande necessidade de realizar ações contra desigualdades sociais e mudanças climáticas. Nesse cenário, o setor apresenta um papel importante.

Isso ocorre devido ao fato de impactar significativamente a economia de um país, e ser um grande indicador de desenvolvimento econômico. Logo, a aplicação do ESG tem grande influência na sociedade.

Neste post, tiraremos todas as suas dúvidas sobre o que é ESG, sua relação com o mercado imobiliário e o que o Grupo Direcional está fazendo sobre o assunto. Continue a leitura!

O que é ESG e qual seu objetivo?

ESG vem do inglês “environmental, social e governance”, de acordo com o Pacto Global — iniciativa do setor privado, juntamente à ONU (Organização das Nações Unidas), com o intuito de estimular o desenvolvimento sustentável.

O ESG nada mais é que um índice que analisa as operações das principais organizações, de acordo com os seus impactos acerca da sustentabilidade — o meio ambiente, o social e a governança. Inclusive, é um conjunto de padrões e boas práticas, que objetivam determinar se a atividade de determinada empresa é socialmente sustentável, consciente e se está sendo gerenciada da forma correta.

Como funciona?

O ESG é dividido em três pilares, que individualmente traduzem as atividades das organizações em determinada esfera.

Meio Ambiente (Environmental)

As questões ambientais estão ligadas à energia utilizada pela empresa e também a todos os resíduos que ela gera. Isto é, a letra E da sigla ESG trata dos recursos que um negócio precisa para manter em dia suas operações, além dos impactos causados por tudo isso no meio ambiente.

Ademais, trata dos esforços para redução da emissão de CO2 (gás carbônico), que promove o aceleramento das mudanças no clima do planeta. 

Social

Os fatores sociais compreendem os relacionamentos que a empresa tem e a reputação que cria com organizações e indivíduos nas comunidades em que realiza negócios. Dessa forma, são analisadas questões como diversidade e inclusão, relações de trabalho e direitos humanos.

Governança (Governance)

Governança se refere ao sistema interno de controles, práticas e procedimentos adotados por uma empresa, a fim de cumprir a lei, tomar decisões mais eficazes e atender às necessidades de todos os stakeholders. Em suma, o G na sigla se trata de um conjunto de princípios e regras que determinam, por exemplo, expectativas, responsabilidades e direitos entre todas as partes que têm interesse na governança de organizações.

Qual a importância do ESG?

O ESG é extremamente importante no mercado imobiliário. Veja os motivos!

Melhora a reputação da empresa

Ao adotar o ESG, a empresa passa a ter mais visibilidade tanto entre os consumidores quanto no mercado imobiliário. Isso se deve ao fato de que o valor agregado conquistado ao seguir suas práticas atrai compradores e investidores, já que eles se sentem mais seguros quando investem seu capital em empreendimentos comprometidos com a sustentabilidade.

Aumenta o lucro

Com a análise da governança do empreendimento, os processos do negócio acabam sendo otimizados. Consequentemente, há uma maximização da produtividade e, com isso, são minimizados custos operacionais. Outro fator muito comum de ocorrer com quem implementa o ESG é aumentar o engajamento da mão de obra, o que diminui o turnover, viabilizando mais economia.

Evita multas

Empreendimentos que implementam o ESG em sua rotina diminuem de forma considerável o risco de multas em virtude de prejuízos ao ecossistema. Assim, é possível economizar capital para fazer investimentos no seu próprio melhoramento contínuo. Dessa forma, o público consumidor consegue perceber o seu valor agregado e acaba criando uma maior conexão com eles.

Que mudanças vem provocando no mercado imobiliário?

A construção civil é responsável por empregar milhões de pessoas para atender à demanda e disponibilizar imóveis para moradia, empresas e lazer. A aplicação do conceito ajuda a mostrar aos clientes, por exemplo, as vantagens de morar em um apartamento com as melhores práticas de ESG atendidas.

Logo, sua aplicação tem um grande impacto na sociedade, principalmente, devido ao fato de esse setor ser responsável por grande consumo de recursos naturais. Sua adoção ajuda, até mesmo, a escolher um bairro ou encontrar o melhor lugar para a construção do imóvel.

Veja como isso acontece!

  • Questões ambientais: escolher materiais sustentáveis e certificados ambientalmente, minimização de gases poluentes, gestão de resíduos e utilização eficiente do solo;
  • Práticas sociais: mais respeito pelos colaboradores, clientes e parceiros comerciais, participação de projetos sociais, promoção da diversidade e inclusão, valorização da mão de obra local;
  • Práticas de governança: agir com ética, transparência, ter responsabilidade corporativa, prestar contas e fazer a divulgação dos dados do negócio;
  • Construção e arquitetura: desenvolver práticas que valorizam construções e arquiteturas sustentáveis, como o desenvolvimento de espaços que viabilizam interação social e bem-estar, utilização de paredes internas em drywall, que promovem economia de água e reduzem a produção de resíduos, a chamada construção seca;
  • Questões energética e hídrica: práticas com objetivo de minimizar o consumo energético e de água, reutilizar água da chuva e utilizar sensores de presença para melhorar a eficiência energética do empreendimento.

Como estruturar uma estratégia ESG?

Após entender o que é ESG, é muito importante saber como estruturá-lo de forma eficiente. Conheça algumas dicas!

Relacione as prioridades do negócio

Há 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), criados em 2015 pela Organização das Nações Unidas (ONU), com o propósito de fazer com que os países-membros, incluindo o Brasil, alcancem o desenvolvimento sustentável até 2030. Cada empresa deve verificar quais desses objetivos fazem mais sentido para o negócio. Inicialmente, é preciso analisar os impactos negativos das atividades da empresa e, logo após, os impactos positivos.

Dessa forma, fica mais fácil realizar um mapeamento das consequências administrativas, sociais e ambientais, além de dar prioridade às práticas de ESG.

Utilize o compliance para reestruturar ações da empresa

Outra dica importante para implementar o ESG no setor imobiliário é fazer a revisão de práticas já existentes no negócio que estejam ligadas ao meio ambiente, à governança e à responsabilidade social. É essencial reavaliar a política interna e a atuação de cada setor, por meio de programas de compliance, com o intuito de se adaptar aos princípios do ESG.

Estabeleça metas e utilize indicadores

Para fazer o acompanhamento da implementação dos princípios de ESG, é essencial determinar objetivos e metas, além de contar com indicadores que ajudam na análise de como cada um deles está evoluindo. É importante incluir ações pertinentes com cada elemento do ESG, utilizando um cronograma de implantação, metas e mensuração.

Por que o Grupo Direcional é referência nas práticas ESG? 

A Riva Incorporadora é uma empresa do Grupo Direcional, que atua em todas as fases da atividade de incorporação até a construção, adotando um método construtivo industrializado que mantém os parâmetros sustentáveis em todas as etapas.

Por meio da utilização de materiais recicláveis e da gestão de resíduos, ocorre uma redução no impacto ambiental da obra, além disso, durante o processo, a empresa faz um inventário de carbono, analisando o consumo energético que cada edifício emitiu. Em muitos projetos, as árvores do terreno são mantidas ou replantadas, preservando o espaço verde do local, como é o caso do Stillo Barra Residencial e do Apogeu Barra, por exemplo.

Outras iniciativas da Riva que têm ganhado destaque no mercado imobiliário são as soluções Easy Do It e Eco Do It dos empreendimentos da linha Do It Residences em São Paulo, em que há o incentivo do consumo inteligente e inovador por meio das seguintes soluções: reuso da água da chuva, painéis fotovoltaicos e lâmpadas LED nas áreas comuns.

“O ESG busca falar da responsabilidade social e ambiental das empresas, sobre ter uma governança ética, honesta e justa. A Direcional olha para esse padrão e deseja sempre os alcançar”, comenta a especialista em Inteligência de Mercado e ESG na Direcional, Kirya Ferreira.  

Agora, você já sabe o que é ESG, sua importância na construção civil, como ele está ligado ao mercado imobiliário e como o Grupo Direcional implementa-o no setor. A Riva constrói empreendimentos com muita qualidade, investindo no atendimento aos requisitos, na capacitação profissional e na melhoria dos processos, visando a satisfação dos seus clientes e canteiros de obras mais sustentáveis.

Curtiu nosso post? Então, siga nossas páginas nas redes sociais e leia mais conteúdos como este! Nós estamos no Instagram, Facebook, LinkedIn, Twitter e YouTube!


Post Anterior
Como calcular a taxa de juros em um financiamento imobiliário
Próximo post
Sustentabilidade na construção civil: como funciona e por que é importante

Receba nosso contato para saber mais sobre como podemos te ajudar a encontrar o imóvel ideal.

  • Hidden
    Sobrenome do usuário (Campo oculto, preenchido dinamicamente após envio)
  • Hidden
  • Hidden
  • Hidden
    Site da Web – Website – URL
  • Hidden
  • Hidden
  • Hidden
  • Hidden
  • Hidden
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Fique tranquilo(a), você não estará assumindo nenhum compromisso com a Riva.