O que é uma vida minimalista e como cultivá-la?

  • 8 de março de 2022
  • Equipe Riva
  • 10 minutos de leitura
O que é uma vida minimalista e como cultivá-la? Riva Incorporadora

Não é preciso morar num espaço vazio para ingressar nesse modo de vida, apenas planejar com consciência (ou menos ansiedade) o que você precisa ter.

À medida que o avanço tecnológico e industrial passou a oferecer cada vez mais opções de consumo e conforto material, criamos uma tendência ao acúmulo de bens. Mas, o que antes parecia o modelo de vida ideal, começou a dar sinais de exaustão, gerando, inclusive, novas doenças relacionadas ao cansaço extremo nas pessoas.

Sem tempo para ler? Clique no play para ouvir.

No meio disso tudo, despontou o estilo de vida minimalista com a proposta de fazer o caminho inverso e tornar a vida mais leve e feliz. Quer saber do que se trata? Acompanhe o post e entenda!

O que é minimalismo?

O documentário Minimalism: A Documentary About the Important Things, de 2016, nos coloca no dilema minimalismo x consumismo e convida os espectadores a refletir sobre a importância de levar uma vida mais despojada e bem menos consumista.

A produção, disponível na Netflix, aborda o já tão conhecido termo “menos é mais”, propondo a possibilidade de pararmos de acumular coisas desnecessárias para abrir mais espaço ao que realmente importa, fazendo com que a vida deixe de ser tão agitada.

Portanto, minimalismo é a simplificação e a redução das coisas que adquirimos e trazemos para a nossa vida, incluindo o tamanho do lugar onde moramos. Ser uma pessoa minimalista, então, é querer simplificar a vida, privilegiando itens, compromissos e momentos realmente importantes.

Ao adotar esse o estilo de vida minimalista, valorizamos a nós mesmos e menos os objetos materiais. Passamos, também, a decidir com base no que precisamos para viver e não nas coisas que queremos ter ou acreditamos querer. Basta pensar que no mundo atual somos bombardeados, literalmente, o tempo todo com anúncios de vendas. Conseguir se desvencilhar dessas tentações do consumo pode ser bastante desafiador para a maioria das pessoas.

Assim, quando decidimos adotar práticas minimalistas no dia a dia, temos a chance de aproveitar o que já possuímos, reduzindo as demandas e usando o tempo para ter mais qualidade de vida com a família, os amigos ou, simplesmente, não fazer absolutamente nada.

O que caracteriza uma vida minimalista?

A principal característica do minimalismo é o desapego do consumismo. É conseguir se livrar do excesso de tudo o que você não precisa, deixando o seu espaço simples e mais organizado. É viver livre da obsessão por coisas ou por hábitos, principalmente os nocivos.

Esse conceito é, portanto, mais que uma tendência, é um autêntico estilo de vida que envolve uma série de condutas. Seus adeptos costumam introduzir práticas de minimalismo na decoração, na arquitetura de seus imóveis, na alimentação, na forma de consumir itens do dia a dia, de interagir com a natureza e até no lazer. Dessa forma, é possível viver com mais simplicidade e, com isso, conquistar a liberdade que o desapego proporciona.

No entanto, é importante frisar que não existe um conjunto de regras fixas ditando o que pode ou não ser feito quando se busca praticar o minimalismo. É muito o contrário disso, cada pessoa encontra seu próprio ponto de equilíbrio em relação ao consumo consciente.

Quando falamos em desapego, também temos que pensar na questão do reaproveitamento e da reciclagem, que faz parte do conceito, como forma de minimizar impactos ao meio ambiente. Por isso, é fácil verificar que a sustentabilidade é um dos princípios basilares do minimalismo.

Como adotar o estilo de vida minimalista?

Muitos desejam tomar esse caminho para sentir mais leveza e tranquilidade, mas, nem sempre sabem como começar. A seguir, selecionamos algumas sugestões básicas de como empregar essa filosofia na sua vida. Acompanhe!

Transforme o seu mindset

Em primeiro lugar, é fundamental compreender que, para ser minimalista, a mudança de mindset faz toda a diferença. E isso significa entender que os bens materiais não constituem a fonte da felicidade para se ter uma vida plena.

Desapegue

Em seguida, um bom ponto de partida para colocar em prática a mudança de paradigma mental é parar e analisar quais itens que você guarda com tanto apego e já não usa ou não precisa, há tempos (normalmente, mais de um ano). Reflita sobre o motivo de guardar esses objetos e, em seguida, descarte da melhor forma, caso entenda que realmente não precisa deles, principalmente quando há algum apelo emocional envolvido. Assim, o ideal é começar com as coisas menos importantes e assim por diante.

Priorize a qualidade

Dado o primeiro passo, é importante entender que ao adotar um estilo de vida minimalista, desapegar de coisas antigas não é suficiente. É necessário fazer uma mudança de mentalidade em relação ao consumo, senão a tendência de continuar acumulando perpetua e você nunca sai do lugar.

Sendo assim, escolha qualidade em vez de quantidade. Antes de sair comprando por impulso, reflita se realmente é preciso adquirir mais de um item, por exemplo. Priorize aquele que você mais gostou e abra mão dos demais.

Sabemos que essa mudança não é fácil, portanto, ela não precisa ser radical. Lembre-se de que toda transformação requer persistência e paciência, até que se torne um hábito e faça sentido para a sua vida.

Organize seus espaços

Nem sempre nos divertimos quando temos que colocar a mão na massa para organizar gavetas, armários e espaços entulhados de coisas. Mas, isso é fundamental para quem pretende adotar o minimalismo e pode ser muito proveitoso. Então, essa é mais uma tarefa que exige paciência para separar o que fica e o que sai, deixando seus espaços livres, limpos e funcionais.

Reduza a quantidade de informações recebidas

Estamos cada dia mais bombardeados de informações, o tempo todo. E isso é uma fonte de estresse inútil, crônica e perigosa. Por isso, reduza, se possível, drasticamente, a quantidade de informações que você recebe das mídias sociais e da televisão. Você verá como esse simples gesto pode transformar a atmosfera ao seu redor.

Aprenda a dizer não

A necessidade doentia de ser multitarefa, produtivo e agradável a todo mundo é o caminho mais curto para crises de pânico ou ansiedade crônica. Então, procure evitar a aceitação de convites apenas para agradar os outros. Valorize mais o seu tempo sabendo dizer não, afinal, o minimalismo não diz respeito apenas a coisas materiais.

Quais são os principais impactos no dia a dia?

Mais uma vez, é importante esclarecer que o minimalismo nunca foi apenas sobre comprar ou não. Na verdade, é mais sobre saber como consumir, aprendendo a viver com o dinheiro que se ganha e ter somente o que é necessário. Sendo assim, vejamos quais são os impactos desse conceito no dia a dia:

Economia

Quando se aprende a adotar um consumo mais consciente, os gastos desnecessários desaparecem naturalmente. Com isso, a economia é certa, o que permite até um aumento de patrimônio de forma mais rápida.

Liberdade

Um dos maiores benefícios do estilo de vida minimalista é a liberdade que se pode alcançar devido ao desapego às coisas materiais, afinal, quanto menos itens para administrar, mais fácil se torna fazer escolhas poupando tempo e energia. Além disso, é comum a sensação de liberdade e plenitude quando não é necessário se preocupar com demandas em excesso.

Interesse em experiências

Ao escolher o minimalismo você começa a colecionar experiências, uma vez que já abriu espaço na vida para acontecimentos no lugar de acúmulo de objetos. Nesse processo, o adepto tende a se concentrar mais em memórias significativas, ao longo do tempo, em vez de se fixar em bens materiais.

Consciência ambiental

Quando se reduz o consumo de coisas, você contribui com os ciclos de descarte e reaproveitamento de objetos de maneira mais lenta e racional. Assim, se torna possível causar cada vez menos impacto negativo ao meio ambiente.

Contribuição social

Durante o processo de desapego das coisas não essenciais, o adepto cria uma oportunidade de distribuir itens, como roupas, calçados e outros objetos que podem fazer toda a diferença para quem precisa. Assim, você passa a colaborar mais ativamente com questões sociais.

Viu como a vida minimalista dá uma sensação de alívio só de imaginar o quanto se pode ficar leve e feliz com menos coisas para se preocupar? Isso é importante não apenas para o seu desapego pessoal, mas para aliviar o planeta de tanta sobrecarga. Pense você também nesse assunto e seja mais um a deixar de acumular coisas desnecessárias.

Se você gostou dessas ideias, compartilhe com seus contatos nas redes sociais. Quem sabe você consegue influenciar alguém a ser mais livre e leve?


Post Anterior
Como separar lixo reciclável no seu apartamento?
Próximo post
Os 6 melhores bairros de Manaus para morar

Receba nosso contato para saber mais sobre como podemos te ajudar a encontrar o imóvel ideal.

  • Hidden
    Sobrenome do usuário (Campo oculto, preenchido dinamicamente após envio)
  • Hidden
  • Hidden
  • Hidden
    Site da Web – Website – URL
  • Hidden
  • Hidden
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Fique tranquilo(a), você não estará assumindo nenhum compromisso com a Riva.